Site do PokerStars
SB vs BU e Potes com 3-Bet no Spin & Go
Nesta parte, devemos delinear uma estratégia de 3-bet ou fold do SB nos estágios iniciais de um Spin & Go antes de ver como lidar com potes de 3-bet onde há muito pouco dinheiro restante nos stacks em comparação com o tamanho do o pote.

SB contra o mini-raise do BU

Em primeiro lugar, algumas palavras sobre das flat call nesta situação - evite isso. Existem três problemas principais em construir um range de flat call no seu jogo a partir do SB.
  1. As pot odds não justificam fazer investimentos de fora de posição com muitas mãos. As mãos que são pagamentos lucrativos são provavelmente melhores 3-bets de qualquer maneira.
  2. Não fechar a ação é destrutivo para o EV de pagar. As vezes que o BB faz 3-bets pequenas ou shoves aniquilarão quaisquer lucros que fizermos nas vezes em que podemos para ver o flop.
  3. Somos incentivados a fazer a 3-bet com mãos premium por valor e construir o pote enquanto temos uma grande vantagem de equidade. Isso significaria que qualquer range de call que nós escolhemos para construir seria limitado, o que seria muito fácil para o BB atacar. Atingir uma frequência razoável de defesa para 3-bets torna-se, portanto, impossível.
As opções que tomaremos do SB frente a um aumento do BU são:
  • 3-bet all-in
  • 3-bet pequena por valor
  • 3-bet pequena por blefe
  • Desistir
Aqui está um roteiro da nossa estratégia nessa situação:


Mais uma vez, as mãos com as quais fazemos uma pequena 3-bet de valor são aquelas que querem incentivar a ação por acertar o flop poderosamente. Com blinds em 10/20, o BU aumenta para 40 e nós fazemos 100. Este tamanho de 3-bet impede o vilão de pagar as piores mãos em seu range de abertura (note que um tamanho de 80 permitiria que ele pagasse muito lucrativamente), enquanto ao mesmo tempo nos permite desistir para um all-in se estivermos usando nossa pequena 3-bet por blefe.

As mãos fazem 3-bet pequenas como um blefe e, em seguida, desistem para um all-in ficam fora do nosso range de shove. Elas terão blockers úteis (ex. A8o) ou terão um pouco de jogabilidade no caso do vilão pagar a 3-bet (ex. T8s). A ideia aqui é que essas mãos não terão equidade suficiente para fazer shoves lucrativos contra estratégias bem construídas do BU e, portanto, são as melhores do restante. Por essa razão, eles entram no range que busca fold equity pré-flop por um custo mínimo.

Finalmente, algumas das nossas mãos de shove são combinações que têm equidade alta, mas menos amigáveis no flop como AKo. Outras mãos de shove são semi-blefes e fazem shoves lucrativos devido a uma combinação de fold equity e ter equidade suficiente para nos compensar nas vezes em que somos pagos. É claro que mãos como A3 e 98 estão esperando conseguir um fold, mas elas são escolhidas com base no fato de que eles têm alguma equidade para se recuperarem se tiverem o azar de serem pagas.

Jogando Potes com 3-Bet

No flop, após o BU pagar a nossa pequena 3-bet, teremos construído o pote para 200 e o stack efetivo será de apenas 400, assumindo que é o começo do Spin & Go. Essa pequena proporção entre stack e pote nos oferece uma série de escolhas exploradoras interessantes. Vamos discutir uma abordagem da teoria do jogo para esses situações contra regulares sólidos e também um plano de jogo mais explorador para usar contra jogadores mais fracos. Devemos observar que estes últimos são de longe o tipo de jogador mais comum que estaremos encontrando e então nosso jogo padrão será explorador.

Vamos começar com um flop seco e inofensivo de 774r. Este é um bordo que erra em grande parte os dois ranges. Aconselhamos imaginar como um painel de vidro transparente que não distorça a situação pré-flop. Esses tipos de flops significam que qualquer vantagem de range que existia antes do flop ainda existe no mesmo grau. Nós como agressores, temos enormidade de mãos fortes que o nosso adversário não pode suportar. Além disso, como dimensionamos um pré-flop tão pequeno, adaptamos nosso range para conter uma concentração de mãos de valor bastante alta em comparação aos blefes. Isso nos dá uma vantagem muito clara e decisiva de range neste flop.

Quando você tem uma grande vantagem de range, geralmente é correto fazer a c-bet com todo o seu range. Não há nada que o vilão possa fazer a respeito, porque o nosso range é naturalmente mais forte que o dele. Nós não desistiremos com frequência suficiente para um shove para tornar o blefe do vilão uma boa ideia, e assim, apesar de termos apostado em todas as combinações com as quais chegamos ao flop, ainda estamos equilibrados e protegidos. Quanto ao dimensionamento, devemos escolher um tamanho que defina um shove no turn. Com os stacks efetivos sendo apenas 2x o pote, não há espaço para colocar o dinheiro nas três rodadas de apostas. A melhor jogada aqui é apostar todo o nosso range em torno de metade do pote, mas na realidade, normalmente podemos fazer melhor dividindo o nosso range de uma forma mais exploradora.

A solução de exploração que é mais lucrativa contra oponentes mais fracos se parece com isso:

Mãos como AA e KK são fortemente incentivadas a dar check. Esse slow-play é completamente justificado em um bordo seco com uma mão invulnerável, pois só precisamos de duas rodadas de apostas para conseguir o dinheiro. Dessa forma, podemos extrair dinheiro das mãos mais fracas do vilão (agora se ele apostar ou apostando no turn se ele der check), mas, ao ao dar check que permitimos que o vilão invista em um blefe com mãos que ele pode simplesmente desistir para uma c-bet de metade do pote.  dar check com essas mãos monstruosas, estamos ampliando a parte do range do vilão que pode nos pagar.
TT-QQ são boas para apostar, pois ganham proteção fazendo as overcards desistirem. Em outras palavras, esses pares são mais vulneráveis e têm mais a ganhar, encerrando a mão agora quando estão à frente. Novamente, porém, deveríamos avaliar as chances do vilão blefar no flop se dermos check e ainda estarmos inclinados a dar check com esses pares contra adversários agressivos.

Com uma mão como ATs-AKs, a pegar blefes faz muito mais sentido do que apostar. Ao apostar, normalmente só fazemos desistir as mãos piores e muitas vezes dominamos muitas delas. AKs é semivulnerável, mas não chega nem perto do 66, o que detesta muito mais cartas do turn. É perfeitamente razoável fazer check/call essas mãos neste bordo baixo.

Quando temos absolutamente nada neste ponto, como Q8s, podemos blefar por metade do pote e largar para um shove. Devemos esperar que esta aposta funcione com mais frequência do que deveria, devido ao range do vilão ser limitado e a textura do bordo não dar a ele nenhuma ajuda real. Os jogadores desistir demais para uma c-bet aqui e ter um range com uma grande variedade de blefes é uma estratégia sólida. Contra jogadores muito passivos, podemos optar pelo check/fold com essas mãos porque ao da check, coletamos informações gratuitas sobre se o vilão acertou o flop, sem ter que desperdiçar uma aposta nas vezes que conseguiu. Os jogadores evidentemente passivos são muito lucrativos para enfrentar devido ao quão previsivelmente eles constroem os seus ranges de aposta.

Conclusão
Agora que cobrimos o último ponto do jogo inicial pré-flop na lista, e entramos no pós-flop, é hora de abordar algumas situações pós-flop de Spin & Go com stacks um pouco mais profundos - ou seja, potes com aumentos únicos.
 
Que perguntas de estratégia de Spin & Go você tem?
Comente abaixo para ajudarmos você.

X Informações de Cookies

Nós colocamos cookies no seu computador para melhorar a sua experiência no nosso website. Você pode alterar as suas configurações de cookies a qualquer momento. Caso contrário, entendemos que você esteja de acordo em continuar.