O termo pode parecer complicado, porém, é muito fácil de decifrar.


Basicamente, você se encontrará numa situação de reverse implied odds quando jogar mãos marginais, ou seja, no caso do Omaha, mãos que não possuam queda para o nuts. Tais mãos, de maneira geral, irão te fazer ganhar pequenos potes e perder grandes potes.


Antes de continuar, é necessário lembrar que, diferente do Texas Hold’Em, Omaha é  um jogo de draws. Entretanto, nem sempre importa apenas a quantidade dos seus outs, mas sim, a qualidade deles.


Suponha o seguinte cenário:


Blinds $1/$2 6-Max. Vilão tight abre do UTG $7 e o Hero da call com do SB.
O flop trás: . O pote contém $16 e o vilão aposta o pote. Hero da call com o seu flush draw de 9.


O turn trás um , fazendo com que o hero complete seu flush. Pote agora contém $38. Vilão novamente aposta o pote. O Hero novamente da call.
River trás um blank, um . Pote agora possui $114 e o vilão anuncia all-in de $100. Hero da call.


Showdown do vilão: .
Aqui há um cenário típico de reverse implied odds. Ou seja, o que fez o hero perder toda essa quantia não foi ele não ter acertado a pedida dele, mas sim ele ter acertado uma pedida marginal, um flush que não era nuts, no caso, um flush dominado.


Outro caso típico no Omaha de reverse implied odds são os pares baixos. Diferente do Texas, onde você ganha muito dinheiro quando trincar, no Omaha, os pares baixos são mãos para se perder todo o stack. Exemplo:


Hero possui . Vilão abre $4 do Cut Off e hero da call do BB.


O flop seco trás: . Hero da check. Vilão beta $7. Hero raise para $28. Vilão re-raise para $84.


Ambos os jogadores se envolvem em all-in no flop. Showdown: Vilão . Hero praticamente drawing dead.


Sendo assim, se deve sempre tomar cuidado ao jogar com mãos que não te trazem pedidas nuts no Omaha, ou que te coloquem em situações desconfortáveis no flop. Afinal, você pode acabar se colocando numa situação de reverse implied odds e perder todo o seu stack, principalmente quando se é iniciante.