Série Grand Tour – Episódio 11 – Estratégia de Limp ou Shove do SB

PokerStarsSchool | há 1 mês em Sit & Go

No Grand Tour, como o Small Blind (SB), tenho apenas três jogadas no meu arsenal: desistir, entrar de limp ou ir all-in. A razão para não se preocupar com um aumento menor é dupla:

  1. Simplifica as coisas para aprender dois ranges para entrar no pote em vez de três. Uma vez que adicionamos um pequeno aumento à mistura, estamos complicando demais para nenhum ganho real em EV.
  2. Quando as pessoas estão em posição e têm a chance de ganhar um bounty, elas podem pagar com quaisquer duas cartas lucrativamente contra um range de aumento de 2.2bb. Eu prefiro entrar de limp e jogar um pote com mais dinheiro sobrando. Isso nos dá espaço para usar nossas habilidades pós-flop.

Antes de darmos uma olhada em nosso plano de jogo no SB com stacks iniciais de 20BB, vamos examinar algumas das teorias sobre os confrontos SB vs BB no Grand Tour:

Porque entrar de Limp é tão bom

Quando você entra de limp (também conhecido como completar) no small blind, você arrisca meia unidade para ter uma chance em um pote de duas unidades. Isso significa que você precisa ter direito a 25% do pote apenas para empatar e atingir a mesma expectativa de que se desistisse da mão. Como você está sempre em heads-up nessas situações e contra um range de check limitado, normalmente tem muito mais equidade do que precisa para atingir essa meta.

Protegendo o seu Range de Limp

Se o parágrafo acima parecia bom demais para ser verdade, é porque era!

Infelizmente, o Vilão tem permissão para nos aumentar e, porque ele tem posição sobre nós, de forma bastante agressiva também. Se apenas dermos limp com mãos que mal são boas o suficiente para jogar e temos que desistir para um aumento, somos arrasados por jogadores agressivos. Portanto, é importante construir um range de limp/call e um range de limp/raise para proteger aquelas mãos ruins que estão tentando encontrar um caminho para ver um flop. Estaremos construindo uma estratégia de limp completamente protegida que nos permite continuar com frequência suficiente para um aumento para impedir que nossos oponentes ganhem qualquer dinheiro com o aumento de blefe.

Empurre a Equidade não jogável

Quando você tem um Ás alto como ATo ou um par pequeno como 44, você tem muita equidade. O problema é que sua mão não consegue realizar bem a equidade. Ax obtém a maior parte de sua equidade simplesmente vencendo sem melhorar, mas é muito difícil chegar ao showdown com um Ás-alto frágil e sem pedidas em todos bordos, exceto os mais secos. Da mesma forma, o par baixo é uma potência de equidade em uma situação de heads-up. É quase sempre um leve favorito pela simples razão de que é muito difícil receber um par – e fácil receber uma mão aleatória não naipada e sem par. Como o Ás alto, o par baixo também é ruim em realizar a equidade porque no flop são mãos muito semelhantes, mas com menos outs para recuperar quando estiver atrás.

Por essas razões, devemos empurrar com muitas dessas duas classes de mãos em vez de fazer limp. Não gostamos de jogar flops; gostamos de fold equity porque geralmente fazemos com que as pessoas desistam de 45% de equidade; e podemos sobreviver se formos pagos.

Limp/Call com mãos jogáveis

Mãos bonitas e versáteis como JTs se encaixam perfeitamente em um range de limp/call se o Vilão fizer um aumento de 3,5x (um tamanho normal nessa situação). Essas mãos dominam o lixo total que ele vai dar check e, portanto, têm boas odds implícitas da perspectiva de conseguir um par melhor do que o vilão no flop. Além disso, elas estão muito vivas contra algumas das mãos que nosso oponente pode aumentar por valor e estão esmagando alguns de seus blefes. Como veremos no próximo episódio, o BB deve jogar uma estratégia polarizada em resposta ao nosso limp (o que significa que ele aumentará com mãos muito boas e blefes, mas não com mãos médias que vão bem no flop).

Dar Limp com o Nuts Absoluto

Mãos como AA e AKs não precisam da proteção e fold equity que AJo ou 55 precisam. Escolhemos jogar essas mãos como limps. Quando temos um grande par ou uma grande mão naipada, nossa equidade é tão alta e nossa jogabilidade tão agradável que podemos jogar muito bem tanto como limp/shove quanto vendo um flop contra uma mão muito mais fraca. Estaremos invariavelmente fazendo limp/shove com essas mãos se enfrentarmos um aumento, e fazer limp/call para um all-in do vilão.

Arrisque-se no pote com semi-lixo

Mãos como J6o estão longe de ser a pior coisa no menu, mas certamente são bastante ruins. Quando existe apenas um oponente e as pot odds para completar no small blind são tão boas, elas não podem ser largadas, mas também preferimos não aumentar com elas. Este é outro bônus para jogar uma estratégia de limp ao invés de aumentar.

Dando limp, você joga mais mãos que teriam que desistir em uma estratégia de aumento ou desistência.

Vamos conhecer a estratégia

Agora que entendemos a teoria por trás do jogo do small blind, vamos conhecer o range que usaremos. Como sempre, é seu trabalho adaptar isso como achar melhor. Por exemplo, você vai querer dar limp com mais mãos que desistem contra um oponente muito passivo e mais mãos que vão all-in contra os que aumentam frequentemente.

Esses ranges pressupõem stacks iguais. Você tem a chance de eliminar seu oponente e ganhar seu bounty. Se não for esse o caso, você tem que apertar um pouco. Se você o cobrir e apenas o bounty dele estiver em jogo, você pode se soltar mais.

No gráfico a seguir:

  • Mãos em cinza são para desistir
  • Mãos vermelhas são de limp/fold
  • Mãos amarelas são de limp/call
  • Mãos verdes são de limp/shove
  • Mãos azuis são para ir all-in direto

É muita coisa para memorizar, então vamos ficar por aqui hoje.

No próximo episódio vamos focar em como reagir aos limps do small blind quando estamos no big blind.


Comente e participe da discussão sobre este e outros artigos no nosso Canal do Discord.

Carregando Comentários

Loading more content...